Para entender como ler um Diagrama de Afinidade, antes é preciso saber para que ele serve e como se dá sua construção. Portanto, é isso que vamos esclarecer no post de hoje.

Diagrama de Afinidade | O que é?

O Diagrama de Afinidade foi desenvolvido em 1960 pelo antropólogo japonês Jiro Kawakita, A ideia surgiu quando Kawakita foi encarregado de ordenar um alto volume de dados que pareciam não ter correlação e classificá-los a fim de identificar temas comuns entre os dados.

A técnica foi criada para identificar com maior precisão as características, formas e proporções de um problema específico. Tudo isso por meio da organização e agrupamento de um alto volume de ideias, dados qualitativos ou informações.

Então, basicamente, o diagrama de afinidades trata-se de uma representação gráfica de grupos de ideias relacionadas. Seu objetivo é demonstrar como um grupo de pessoas enxerga determinada situação ou problema.

Portanto, com o diagrama de afinidades pode-se filtrar e dar sentido a um número considerável de dados complexos. Por exemplo, dados coletados em pesquisas junto a funcionários e clientes, informações relacionadas à comparações com a concorrência, etc.

Diagrama de Afinidade | Aplicações

Geralmente, essa ferramenta é aplicada em casos onde não há dados estatísticos suficientes para realizar uma tomada de decisão assertiva. Aliás, também é indicado em ocasiões onde é preciso muito compromisso e responsabilidade em relação aos dados manipulados.

A aplicação do diagrama de afinidade é recomendado para problemas complexos e situações que dispensam ações imediatas. Isso porque sua elaboração e a mobilização das pessoas que devem participar dele demanda tempo.

O diagrama de afinidades também é usado em conjunto com outra técnica, o brainstorming. Neste caso, sua aplicação é orientada a organizar graficamente as ideias levantadas na sessão.

Diagrama de Afinidade | Como é construído

Principalmente, é construído um grupo que irá gerar as ideias do diagrama. Em seguida, as ideias são registradas em cartões, que são distribuídos pela mesa. Então, com base no que foi observado nos cartões, são criados grupos de dados.

Na sequência, os cartões são agrupados de acordo com as características em comum que apresentam. Depois, são identificados grupos de dados com características em comum e faz-se o registro no cartão-título, que deve ser diferente dos cartões de ideias. Após isso, os primeiros grupos são desenvolvidos e cercados por um retângulo, separando-os dos outros grupos. Feito isso, o  cartão título é alocado na parte superior do retângulo traçado. Então, todos os demais grupos são envolvidos por um retângulo maior, cujo título é o tema do diagrama de afinidades.

Por fim, a partir de uma discussão, as ideias devem ser organizadas dentro do diagrama.

O resultado é parecido com esta imagem:

diagrama de afinidade

E então, conseguiu entender um pouco mais sobre o diagrama de afinidades, como funciona sua construção e como lê-lo? Qualquer dúvida que tenha restado, deixe seu comentário, que iremos solucioná-lo para você.

Diagrama de Afinidade | Como ler um?
Rate this post