No post de hoje, iremos abordar sobre a definição de processos na gestão. A gestão pode ser definida como a organização e coordenação de atividades dentro de uma companhia, com fins de atingir os objetivos pré-definidos. Assim, a gestão costuma envolver e conectar funções de geração de políticas corporativas, planejamento, organização, direcionamento e controle dos recursos para atingir os objetivos dessas políticas. 

A magnitude da gestão varia de uma única pessoa em uma pequena organização a centenas e milhares de pessoas em grandes corporações. Em organizações maiores, o conselho de administração define a política da empresa, que é posteriormente levada adiante pelo CEO. A qualidade e a experiência dos líderes da organização são alguns dos principais fatores para o sucesso de uma empresa em um determinado momento e no futuro próximo. 

 

Importância da gestão

 

Um negócio evolui ao longo de um período com muitas complexidades. Por isso, a gestão é importante não apenas para as empresas, mas também para organizações como escolas, hospitais, faculdades, fundos fiduciários, bancos e para todas as outras empresas que requeiram alguma coordenação e organização de atividades. 

A gestão integra os 6Ms – materiais, máquinas, medidas, meio-ambiente, mão-de-obra e métodos, o que ajuda a atingir os resultados esperados de forma econômica e rápida em termos de vendas, lucro, produção e patrimônio de marca. 

Assim, a gestão é um órgão pensante que fornece ao negócio uma visão positiva. É uma força que integra o cumprimento dos objetivos do negócio.

 

Mas então: qual a definição de processos na gestão?

 

A definição de processos na gestão é ligada a uma série de ações ou operações conduzidas para um fim. 

A gestão como um processo enfatiza que todos os líderes, independentemente de suas aptidões ou habilidades particulares, se envolvem em certas atividades inter-relacionadas para atingir seus objetivos desejados. 

O processo de gestão pode então ser dividido em um conjunto de funções inter-relacionadas. Os gestores precisam desempenhar certas funções nas organizações para que as demais atividades sejam feitas por outros colaboradores. Dessa forma, os gestores precisam desempenhar essas funções de várias maneiras, 

 

Alguns elementos do processo de gestão são: 

  • Planejamento e Tomada de Decisão – onde são determinados os cursos de todas as ações; 
  • Organização – com a coordenação das atividades e recurso envolvidos; 
  • Liderança – a partir do gerenciamento, motivação e direção de seus funcionários;
  • Controle – finalmente é repassado às atividades de monitoramento e avaliação;

1. Planejamento e Tomada de decisão – onde são determinados os cursos de todas as ações

Olhar para o futuro e prever possíveis tendências ou ocorrências que possam influenciar a situação de trabalho é uma qualidade vital, assim como o trabalho de um gestor. 

Planejar significa definir a meta de uma organização e decidir a melhor forma de alcançá-la. Planejar é a tomada de decisão, considerando os objetivos e definindo o futuro curso de uma ação a partir de um conjunto de alternativas para alcançá-los. 

O planejamento ajuda a manter a eficácia gerencial, pois funciona como um guia para seus funcionários ou clientes em atividades futuras. Selecionar metas, bem como os caminhos para alcançá-los, é o que o planejamento envolve. Além disso, o planejamento envolve a seleção de missões e objetivos e as ações para alcançá-los, requer tomada de decisões ou escolha de futuros cursos de ação entre as alternativas.

Em suma, planejar significa determinar qual deve ser a posição da organização e a situação no futuro,  e decidir a melhor maneira de realizar essa situação. Assim, o planejamento ajuda a manter a eficácia gerencial ao orientar as atividades futuras. 

Para um gestor, o planejamento e a tomada de decisões requerem a capacidade de prever, visualizar e olhar para a frente com propósito.

 

2. Organização – com a coordenação das atividades e recursos envolvidos 

 

Uma organização pode ser definida como o processo pelo qual os planos estabelecidos são movidos para mais perto da sua realização. Depois que um gestor estabelece metas e desenvolve planos, sua próxima função gerencial é organizar os recursos humanos e outros recursos identificados como necessários pelo plano para atingir a meta. 

Organizar envolve determinar como as atividades e os recursos devem ser montados e coordenados.

A organização também pode ser definida como uma estrutura formalizada intencionalmente de cargos ou funções para as pessoas preencherem em uma empresa. A organização produz uma estrutura de relacionamentos em uma organização e é por meio dessas relações estruturadas que os planos são buscados.

Organizar, então, é a parte do gerenciamento que envolve: estabelecer uma estrutura intencional de papéis para as pessoas preencherem na organização. 

É intencional no sentido de garantir que todas as tarefas necessárias para cumprimr as metas seam atribuídas a pessoas que podem fazer o melhor. O objetivo de uma estrutura organizacional é criar um ambiente para o melhor desempenho humano. Assim, a estrutura deve definir a tarefa a ser realizada. As regras assim estabelecidas também devem ser elaboradas à luz das habilidades e motivações das pessoas disponíveis. 

 

3. Liderança – a partir do gerenciamento, motivação e direção de seus funcionários

 

A terceira função gerencial básica é liderar as habilidades de influenciar pessoas para um propósito ou razão particular. Liderar é considerada a mais importante e desafiadora de todas as atividades gerenciais. Isto porque liderar é influenciar ou estimular o membro da organização a trabalhar junto com os interesses da organização. 

Criar uma atitude positiva em relação ao trabalho e aos objetivos entre os membros da organização é denominado liderança. E é um ponto necessário porque ajuda a cumprir o objetivo de eficácia e eficiência, alterando o comportamento dos colaboradores. 

 

4. Controle – Atividades de monitoramento e avaliação

 

O monitoramento do progresso organizacional em direção ao cumprimento da meta é chamado de controle. Afinal, monitorar o progresso é essencial para garantir o cumprimento das metas organizacionais. 

Controlar é medir, comparar, encontrar desvios e corrigir as atividades organizacionais que são realizadas para atingir as metas e objetivos. O controle consiste em atividades, como: medição do desempenho, comparativos entre padrões existentes e busca e correção de desvios.

Assim, as atividades de controle geralmente estão relacionadas à medição da realização ou aos resultados das ações que foram tomadas para atingir a meta. Alguns meios de controle, como o orçamento para despesas, registros de inspeção e o registro de horas de trabalho perdidas, são geralmente familiares. Cada medida também mostra se os planos estão funcionando.

Por exemplo: se os desvios persistirem, a correção é indicada. Sempre que os resultados forem diferentes da ação planejada, os responsáveis devem ser identificados e as ações necessárias devem ser tomadas para melhorar o desempenho.  Assim, os resultados são controlados pelos responsáveis. O controle até pode ser o último, mas não menos importante, na definição de processos na gestão. 

É bem dito que ’’planejar sem controlar é inútil’’. Em suma, podemos dizer que o controle possibilita a realização de todo o plano.

 

A definição de processos na gestão  | Conclusão

 

Todas as funções de gerenciamento de seu processo devem sim estar inter-relacionadas e não podem ser ignoradas. Assim, o processo de gestão projeta e mantém um ambiente no qual os colaboradores realizam objetivos selecionados de forma eficiente.

Todos os gestores desempenham as principais funções de gestão: planejamento, organização, liderança e controle. Porém, dependendo das habilidades e da posição em um nível organizacional, o tempo e o trabalho despendidos em cada função serão diferentes.

Planejar, organizar, liderar e controlar são a perfeita definição de processos na gestão – pois funcionam em busca da melhoria contínua.